26 fevereiro 2007

O Parto

(não, não é mais um relato de um parto minuto a minuto...)

Estou para escrever este post "há anos". Não é um relato, é antes uma reflexão. Mais uma das que já diz nestes últimos 7, quase 8, meses.
O V nasceu de cesariana. É um desgosto enorme que eu tenho. Quase um trauma... Estive 9 horas em trabalho de parto. Cheguei ao hospital às 12h do dia 12.07, depois de me terem rebentado as águas, em casa. Estava com 3 cm de dilatação, e, ao fim das 9 horas, era com 3 cm que continuava. Eram 9 da noite e eu estava estoirada, morta de curiosidade, e num excitamento que só eu sei. As enfermeiras entravam e saíam do quarto, as horas passavam, os familiares vinham, faziam uma festa, e... nada de o V nascer. Às 21h lá veio a minha médica perguntar se eu queria partir para uma cesariana ou esperar pelo dia seguinte, se bem que, na opinião dela, aquilo não ia avançar mais. Lá aceitei, muito desgostosa, a cesariana, porque confio muito nela.
A cesariana em si não teve problema nenhum... é facílimo, não custa nada e a recuperação foi do melhor. Nunca tive uma única dor depois do parto.
A minha mãe assistiu, (na CUF não deixam ninguém assistir às cesarianas, mas a minha mãe é enfermeira, e lá deixaram...), não saiu do meu lado, dava-me festinhas na cabeça, e ia-me contando o que estava a acontecer.
Mas ficou sempre aquele vazio...
Uma cesariana era daquelas coisas que nunca me passava pela cabeça... era aquela parte dos livros que eu não lia, não me interessava... estava morta para sentir a sensação do meu filho a sair dentro de mim, depoder ver, de ser ele a decidir a hora, o momento. Mas não.
Ele não estava bem encaixado, e as contracções estavam a empurrá-lo contra o osso da minha bacia, (até nasceu com uma nódoa negra no nariz, tadinho!!). Ou seja, a médica tinha razão. Mas não deixo de pensar: "então e há uns anos, como era?! tinha de nascer!". E nasceria, tenho a certeza. Secalhar até fui um bocadinho medricas, ou ansiosa, e se tivesse esperado, talvez tivesse tido o meu tão desejado, parto normal, (não natural, atenção!!), nunca o saberei...

Odeio esta cicatriz, odeio ter de explicar às pessoas, quando perguntam como nasceu.
É ridículo, eu sei, mas vou dizê-lo: senti-me menos mulher.

8 comentários:

Quicas disse...

Hum...pensei se escreveria este comentário, mas aqui vai. A Flor nasceu de cesariana por opção minha. Sempre tive um medo terrível do parto, e de tudo o que envolve. O meu obstetra sabia desde cedo deste meu medo, e respeitou-me totalmente.
Entrei na clínica às 7 horas, fui para a sala de cirurgia às 8h e às 8:08 nasceu a Flor.
E não me sinto menos mulher (ou pior mãe) por ter sido assim. São diferentes opções, escolhas e maneiras de encarar a situação.

beijocas e desculpa o desabafo

Leonor disse...

eu tb sempre idealizei um parto normal, acredito que é muito, mas muito mais gratificante, emocionante, e sentimental, do que a cesariana. mas, não foi nenhum trauma para mim a cesariana, porque desde o momento que ouvi que ia ter gémeos, que me mentalizei disso. era muito mais provavel uma cesariana que um parto normal... também foi tudo facilissimo, não custou nada, eu não senti sequer "dores de parto" porque foi tudo planeado, e talvez por isso, eu deseje tanto parir naturalmente, agora. com dores, sim, quero sentir tudo, mas sobretudo quero sentir o meu filho sair de dentro de mim!
ao contrário de ti, adoro a minha cicatriz, por saber que foi por ali que sairam os meus grandes amores...:)
quero tanto que desta vez seja um parto normal!!! sei que se não for, vou ficar muito, muito triste, porque não sei se voltarei a passar por um...
beijinhos

P disse...

Quicas,

ainda bem que escreveste! Eu gosto é disto, de "discussão", (no bom sentido...) de troca de ideias! É um dos objectivos deste blog...

Rita_in_UK disse...

Ola' P.,
Pode ser que da proxima consigas :)
Eu, ja' esgotei as tentativas, e sei agora que nunca vou poder ter um filho por parto vaginal. Mas nao me sinto menos mulher por isso. Talvez se nunca tivesse tentado, mas se nao aconteceu, olha, e' dar gracas a Deus porque se calhar se nao vivesse no seculo XXI seria mais uma que morria no parto...
Quanto a esse almoco, venha ele. Regresso ai a 29 de marco por 3 semanas. Eu estive quase, quase a encontrar-me com a Ana desta vez, mas tinha anotado mal a hora da consulta de oftalmologista da Mia e tivemos de adiar. Tive imensa pena!
Bjinhs,
Rita

Diana disse...

Olá, é a 1ª vez que aki venho e tb vou deixar a minha opinião.

A minha filha tb nasceu de cesariana, mas pelas piores razões, já estava em sofrimento e ainda teve que ser reanimada quando nasceu, esteve 24 horas nos cuidados intensivos e 4 horas na incubadora a levar oxigénio.
Estive quase 24 horas em trabalho de parto e ao fim dos 8 cm de dilatação resolveram fazer a cesariana de risco.

Para mim e para a minha filha foi o melhor, não sei o que teria acontecido se não a fizessem, mas tb não kero imaginar.

A recuperação foi fantástica, tanto minha como dela. E tb não odeio a minha cicatriz...apenas a comichão que ela me dá :)

A única coisa que me deixa muito triste foi não ter ouvido a minha filha chorar ao nascer e nem a ter visto acabada de nascer, isso eu não sei o que é, nunca vi um bébé nascer ao vivo, disso tenho desgosto pela situação que foi, pois se elas lá tivessem feito logo a eco tinham visto que a menina não tinha condições para nascer de parto normal, e se calhar as coisas tinham sido diferentes.

Gostava de ter outro filho, e até preferia a cesariana, mas que nem eu nem o bébé sofressemos tanto como na 1ª vez, para poder ver um bébé acabado de nascer e poder ouvir o choro dele.

Não te sintas menos mulher por isso, tudo vale quando toca a um nascimento de uma criança.
Antigamente ele nasceria sim, mas já viste a taxa de mortalidade nos partos que havia?

Hoje podemos dar graças que a ciência evoluiu e pode nos proporcionar um parto bem menos doloroso, para nós e para os nossos filhos.

Eu tb keria muito parto normal, mas depois de passar o que passei só queria era a minha filha cá fora, fosse da maneira que fosse...

Bijutos grandes

Sandra e Amaro disse...

Eu sei que são momentos muito maracntes para qualquer mulher, mas tens que pensar no teu filhote e que correu tudo bem com ambos...

Beijoca grande

PS nunca te sintas menos mulher por uma situação dessas. Verá que dsqui uns anos o teu filhote não te deixará sequer pensar numa situaç~ºao dessa....

mamã Xana disse...

Também tenho pena de os meus filhos terem nascido de cesariana, mas foi provavelmente a melhor opção. Noutra altura, eu, os meus filhos ou ambos poderíamos não ter sobrevivido.

Não te sintas mal! Não somos menos mulheres.

O parto é só o inicio da aventura. :)

Costinhas disse...

Tive dois filhos. Tive duas cesarianas.

No primeiro estive em trabalho de parto 20h e não fiquei mais, porque o meu médico não deixou.

Na segunda, nem sequer entrei em trabalho de parto.

Também eu queria um parto normal, também eu gostaria de sentir como é. Mas também te digo que em nenhum momento me senti menos mulher. Um pouco desapontada sim, ao início. Mas não são estas coisas que nos definem com mães. Como mulheres.

E ainda bem.

Um beijo grande.