14 fevereiro 2007

O "PRIMEIRO DIA EM CASA"

Quando estava na recta final da minha gravidez, as minhas amigas, tias, primas, avós e etc, tentavam preparar-me para o grande dia... não, não era o dia do parto, (para isso estava eu bem mais que preparada), mas sim o terrível e temido "PRIMEIRO DIA EM CASA". "Vais-te fartar de chorar"; "Vai ser muito mau"; "Não vais perceber o que ele quer"; "A subida de leite é horrível"; "Vais ter imensas dores"; "Vais stressar com as visitas", e por aí fora...

O V. nasceu, e ao fim do 3º dia lá fui para casa, (pois... foi cesariana...). Aliás, fui para casa dos meus pais: estávamos em Julho, os meus pais têm piscina, fim das explicações.

Ele era um bebé perfeito, lindo, gordo, loirinho, muito saudável. A subida de leite correu lindamente, nunca tive dores. Ele mamava que era uma maravilha, de 4 em 4 horas. As visitas não foram muitas, e as poucas que foram, não se demoraram e vieram cheias de presentes. O V não chorava. Fazia cocós normalíssimos, dormia que nem um santo. A minha Mãe fazia tudo o que era preciso, só não dava mesmo de mamar. A família estava toda babada. A cicatriz não me doía, nem a sentia.

Chorei o dia todo.