29 novembro 2007

O Parto

Ora cá está ele! O grande post: o relato d'O PARTO!

Tenho tudo tão presente na minha memória, como se tivesse sido à dois minutos. Os sentimentos, a alegria, a emoção, são indiscritíveis, mas posso tentar transmiti-los por aqui...

NOTA

Eu sou a maior defensora do parto normal. Não acredito em induções, não acredito em planeamentos. Odeio a palavra Cesariana. Se não acreditarem nisto quando acabarem de ler este post... é porque afinal devo mesmo ter mudado um bocadinho de opinião quanto a este assunto... mas enfim...

Ora bem:

Terça-feira, 20 de Novembro de 2007, 8.30 da matina, chegamos ao Hospital, onde já estava a minha Mãe, e minha assistente do parto, (lá, não deixam os pais assistir, tive de pedir para ser a minha Mãe, e como é enfermeira e tal, deixaram).

Faço o check in na recepção do Hotel, perdão, Hospital, de malinha na mão e vem uma auxiliar buscar-me para o quarto. Faço aquilo que se tem a fazer antes do parto, e que não vou explicar aqui, lol, e subo para a cama. Chegam os sogros, o meu Pai, e a conversa lá vai correndo, entre mais e menos nervosismo... "Como é que ele será?", "Será parecido com o V?", "Hum... acho que ele deve ser escuro...", "Mas porque é que ninguém me vem buscar?", "Então e a epidural?", "TENHO FOME!!!", e por volta das 11 lá me vêm buscar.

Chego ao corredor do bloco, e largam-me para li no corredor! "Então??!! Cadê a Dra. M?", e lá chega ela, com aqueles óculos por cima da máscara e as suas inconfundíveis sandálias do cavalo.

Entro na sala, e conheço a anestesista. Passado um bocado, já depois de me ter dado a epidural, passa-me um algodão embebido em álcool pela barriga e pergunta: "Isto está quente ou morno?", calculo eu, para ver se a epidural já estava a fazer efeito. É lógico que a resposta que ela esperava era "quente", pois eu estaria toda adormecida da barriga para baixo. "Vale responder frio?!" pergunto eu. ah ah ah tudo a rir. Vale vale. Toma lá mais uma dose de epidural que até te lixas. As minhas pernas ficaram chumbo de repente. Lá vem o álcool outra vez: "E agora?" "Hummm... frio!". Decidimos esperar para ver... conclusão: a anestesia demora mais tempo a fazer efeito em mim que o normal. Depois lá me lembrei que no parto do V, não me fizeram o teste do algodão, e quando me abriram doeu-me um bocado e pedi um reforço também.
Entra a minha mãe, vem para o pé de mim e começa o show! Ah, entretanto, para minha grande felicidade, a pediatra que assistiu ao parto, foi a Dra G, pediatra do V, e, obviamente, futura pediatra do H também. A meio começo a ficar enjoada, (quando foi do V, vomitei a meio da cesariana!! Muito agradavel, sim senhor, vomitar deitada...). A anestesista dá-me uma máscara de oxigénio, para inspirar fundo 5 vezes, e... uuuuuaaaauuuuuu fica-se no céu!
Abertas todas as costuras que se abrem até chegar ao bebé, (são 5!!! Entre a pele e a placenta, passando pelos músculo abdominal, útero, etc), a anestesista levanta-me a cabeça e vi a melhor coisa que já vi na minha vida: o meu filho a sair de dentro de mim. No parto do V não fizeram isso, talvez por ser o primeiro filho. Saiu um ombro, e depois um bebé cheio de cabelo, gordo, perfeito, com uma boca enormeeeeee e muito chorão!!! Berrou o tempo todo!!! Trazem-no ao pé de mim só para o ver e levam-no para a pediatra, (regras...). a minha mãe foi atrás e ia-me fazendo sinal que estava tudo óptimo. As lágrimas caem-me pela cara abaixo!
3,435kg menos 25g que o Vicente. Perfeito.
Bocarra da avó! Tem uma boca linda, grande, muito sexy!! eheh. O que eu sempre quis: um bebé que puxasse ao meu lado!!! Já que o V é igual ao B, este que viesse equilibrar a coisa, não??Está tudo bem, e a enfermeira leva-o para conhecer o Pai. Eu vou para o recobro, com ele na minha cama, onde nos espera o B, e onde ele mama pela primeira vez, (o H, não o B. Ah ah). Aí, chorámos, agarrados um ao outro. Nunca o vou esquecer...

Depois vou para o quarto, onde nos esperam os Avós todos, e os nosso irmãos. À tarde veio o V, mas não percebeu nada. As visitas estiveram proibidas por nós, neste primeiro dia, e vieram todas nos outros dias.
Na primeira noite conseguimos adormecer às... 5 da manhã!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Tadinho, ele estava com dores eu acho, muito incómodo, ainda não se tinha ambientado ao mundo novo... ás tantas, peguei nele ao colo, e dormi sentada numa cadeira, com ele agarrado à minha maminha, porque não estava bem a mamar, nem no berço... foi remédio santo! Dormimos 4 horas, até ele acordar outra vez para mamar.

A minha recuperação não tem nada a ver com a do V.... Desta vez foi muito melhor e mais rápida! Levantei-me e tomei duche passado 6 horas do parto. No próprio dia do nascimento, tiraram-me o soro e a epidural e tudo mais, e estive (e estou ainda!) sempre bem!

Enfim... foi um parto bem mais pacífico que o primeiro, em que me revoltei mais com a ideia da cesariana, e estava mais nervosa.
Não há nada como a experiência!

7 comentários:

Sofia e Pedro disse...

Olá, eu também fiz cesariana e correu tudo muito bem!Não me deixaram ter dores e tive uma boa recuperação, felizmente.
Pelas tuas palavras, vejo que também tiveste um parto tranquilo e feliz, que bom!
Beijinhos, Sofia, Pedro e Joana

Mafalda disse...

Um relato de uma cesariana muito feliz. Ainda bem que correu bem.

Mamã trintona disse...

Fico feliz por ter corrido tudo tão bem.
Gostei do teu relato.
Joquinhas
Sofia

mims disse...

Ainda bem que correu tudo bem, espero que quando chegar à minha vez eu possa escrever um relato tão bonito como o teu.
Beijinhos

Mãe da Tiz disse...

Que maravilha!!! Era exactamente assim que gostava de contar a minha história (de uma próxima vez.
Ainda bem que estão todos bem!!!

Beijocas

Sonia&Mi disse...

Acho que Cesariana só "mete medo" porque é moda falar mal de quem a faz. O grande problema e o que me deixa completamente passada, é dizerem que não é um parto, é uma cirurgia... Ainda bem que foi rápida a recuperação, eu tb não me posso queixar , se bem que ainda me sinto fragilizada interiormente , e já passaram quase 10 meses. Ás xs parece que me queimam por dentro.

beijinhos :))

Ana Rangel disse...

:)