28 março 2008

"e gostas?"

perguntava-me uma amiga minha quando falávamos sobre o "estar em casa com as crianças". grávida do 3º filho e a tirar um ano sabático (se é que se pode chamar assim a estar em casa com 3 crianças!), confessava-se ela muito "farta de não fazer nada".
achei piada. "não fazer nada". "dondoca" como gosta muito de me chamar um amigo meu. ele que venha passar um dia comigo para saber onde está a dondoquice. "não trabalha", "está em casa". "não faz nada". ah ah

respondi-lhe que não, que não gosto. adoro. amo. não trocava por nada deste mundo. considero-me uma sortuda, pois sei que há por aí muita mãe que gostaria de fazer o mesmo mas não pode. ou porque a situação financeira não o permite, ou porque se sentem diminuídas ao deixarem uma carreira para ficar em casa com as crianças e "não fazer nada."

amo ir buscá-los à cama e pô-los na minha, ainda quentes. amo deitá-los à sesta. amo trazê-los atrás de mim onde quer que vá. amo ir com eles ao parque, ao supermercado, ao banco, à praia. amo os minutos de silêncio em que a casa mergulha quando dormem e a algazarra que é quando acordam. as saudades que sinto quando prolongam as sestas. amo dar-lhes banho e inundar a casa-de-banho. amo tomar banho com eles até ficarmos com "dedos de velha" e termos de acrescentar água quente. amo fazer desenhos para dar ao pai quando chega.

acredito piamente que até aos 2, 3 anos, o melhor sítio para uma criança é junta à mãe (ou pai). não me venham com histórias de "ele precisa de brincar com outras crianças", ou "ele precisa de gastar energia", porque é para isso que servem os parques, os amigos, ou mesmo porque até essa idade as crianças não brincam umas com as outras. e isto não sou eu que afirmo, está mais que provado. compete sim , às mães, proporcionarem ambientes que "puxem" pelas crianças seja em casa, ou na rua. lá por não andar na escola não quer dizer que não tenha que aprender.

(não é por acaso que a noruega, considerado o melhor país da europa para crescer, tem uma licença de maternidade de um ano. ou uma percentagem enorme de restaurantes e cafés baby-friendly. ou é um país em que se pode levar as crianças para o emprego (com um limite de x dias por ano), quando a escola fecha por alguma razão, ou as amas adoecem. ou onde se paga uma média de 1500€ por mês às mães que decidem ficar em casa "sem fazer nada".)

6 comentários:

Tella disse...

És uma privilegiada! Infelizmente, vou começar a trabalhar na segunda e, como deves calcular, estou com uma neura daquelas! Concordo com tudo o que disseste e se pudesse, também ficava em casa.
E claro, não concordo nada com a ideia que as pessoas têm: ficar em casa é ter vida de dondoca!
Bjs

Quicas disse...

"Quem está bem é quem está de férias" ouvi eu há dias em relação a estar estes meses em casa de licença de maternidade. Como se cuidar de um recem nascido a tempo inteiro seja igual a tirar umas férias...
Infelizmente ainda persiste esta mentalidade, de que quem está em casa, seja de licença ou não, a cuidar dos SEUS filhos não faz nada, e tem a vida facilitada.

Gostava eu de poder ter a estabilidade financeira para deixar de trabalhar e vir para casa com as minhas filhas...

bjocas

Supertatas disse...

tb estou, e vou estar!, em casa com o meu minúsculo e A D O R O :D

Luciana disse...

Como eu vos invejo, sim inveja é um sentimento feio, mas eu invejo quem possa estar de férias, sem fazer nada, quem tenha uma vida de dondoca só por estar 24horas por dia com as suas crias!!!!!!!!!!!!
Estive até aos 10 meses e meio com a minha filha, agora com ano e meio e digo de boca cheia que foram os melhores meses da minha/ nossa vida, sem stress de horários, sem correrias, sem tantas birras a querer antenção.....
Enfim foi bom, muito bom!!!!!
Infelizmente tudo o que é acaba depressa, se bem que tb preciso de me sentir util á sociedade, acredito piamente que se passe-se o dobro do tempo com a minha filha só iria beneficiar o seu crescimento.....
Portanto força, parabéns e ignorem quem tem inveja ou quem ainda ñ sabe o que é a maternidade e o que doi a separação de um filho....

Beijocas a todas a mães a tempo inteiro

Luciana Amieiro & Rita (19 meses)

mamy disse...

Tudo certíssimo! Quem me dera poder ficar com a minha boneca! :(

Mãe da Tiz disse...

Este post poderia ter sido escrito por mim... é exactamente esta a minha convicção. E cheguei a mandar muit gente à m****, por me virem com tretas de não fazer nada!
Infelizmente não pode estar mais tempo com ela do que a minha licença de maternidade, mas se pudesse não pensava 2x!!!

Beijos